Malária

Sintomas e Tratamento da Malária

Dr Stamatios PoupalosClínico Geral

A malária, ou paludismo, é uma doença infecciosa provocada por protozoários parasitas pertencentes ao gênero Plasmodium e transmitidos pela picada do mosquito Anopheles. É difundida em regiões tropicais e subtropicais, incluindo partes das Américas, Ásia e África. Todos os anos, há cerca de 515 milhões de casos de malária, matando entre 1 e 3 milhões de pessoas. Existem vários tratamentos antimaláricos disponíveis, variando de acordo com a dose e com o factor de risco da área que irá visitar. Se planeia viajar a um país de risco para a malária, deve informar-se sobre como prevenir esta condição e reduzir o risco de picada e de contágio.

Tratametos Disponíveis Malária
Malarone para a malária
4/5 - 2 Classificações

Malarone

  • Toma diária
  • Impede a disseminação da infecção pelo organismo
  • Poucos efeitos secundários associados
Paludrine/Avloclor da AstraZeneca
5/5 - 1 Classificações

Paludrine/Avloclor

  • Ataca as defesas do parasita
  • Benéfico para pessoas sensíveis a certos medicamentos
  • Contém os princípios activos Cloroquina e Proguanilo
Doxiciclina 100mg para a malária
3/5

Doxiciclina Malária

  • Viável para pacientes com epilepsia e psoríase
  • Considerado seguro e eficaz
  • Entrega grátis no dia seguinte

O que é a malária?

A malária é uma doença que pode se manifestar de forma aguda ou crônica, sendo responsável pela morte de pelo menos 3 milhões de pessoas anualmente, afetando mais de 500 milhões de pessoas no mundo todo, todos os anos.

Trata-se da principal parasitose tropical de difícil controle, trazendo danos cerebrais graves a crianças e podendo provocar a morte, tanto em crianças quanto em adultos, se não for tratada.

Dr Stamatios PoupalosMédico Clínica Geral

Ainda com dúvidas? Complete uma consulta online grátis e pergunte à equipe médica qual o tratamento mais indicado para si.

Comece a sua Consulta online Agora

Quais são as causas da malária?

A malária é transmitida geralmente em regiões rurais ou semi rurais, podendo também ocorrer em zonas urbanas, principalmente na periferia das grandes cidades. Embora seja uma doença comum de zonas tropicais, nas cidades situadas em altitude superior a 1.500 metros, o risco de transmissão é muito pequeno, já que os mosquitos não sobrevivem em zonas mais altas.

Os mosquitos atuam mais durante a noite, desde o crepúsculo até o amanhecer e a contaminação ocorre quando o mosquito pica um portador da doença, tornando-se, portanto, o principal vetor de transmissão da malária.

O mosquito transmissor da malária só consegue sobreviver em áreas onde as temperaturas mínimas sejam superiores a 15°C, só atingindo número suficiente de indivíduos para a transmissão em regiões onde a temperatura esteja entre 20 e 30°C. A transmissão só é feita pelas fêmeas, que usam o sangue humano para poder se reproduzir, enquanto que os machos se alimentam da seiva das plantas.

Sintomas da malária

Neurológicos

As dores de cabeça moderadas são um sintomas comum da malária. Os problemas respiratórios como a tosse seca também podem ser um sintoma.

Gástricos

Problemas de estômago, vómitos e náuseas são sintomas comuns da malária. Estes sintomas são frequentemente leves e podem ser por vezes difíceis de identificar como malária.

Pele

Sintomas como os da gripe incluem ciclos de calafrios, febre e suores, que se repetem por um, dois ou três dias tipicamente. Pele amarela (icterícia) também pode ocorrer.

Musculares

Os sintomas podem também incluir dores musculares e nas costas.

Pele

Sintomas como os da gripe incluem ciclos de calafrios, febre e suores, que se repetem por um, dois ou três dias tipicamente. Pele amarela (icterícia) também pode ocorrer.

Os primeiros sintomas da malária se apresentam entre 8 e 25 dias depois da infecção, embora também possam surgir tempos mais tarde, em pessoas que tenham tomado a medicação preventiva.

Em seu estágio inicial, os sintomas são semelhantes aos da gripe ou de outras doenças virais, como a gastroenterite. Os sinais da malária incluem dor de cabeça, dores nas articulações, febre, calafrios, vômitos, além de, nos casos mais graves, anemia hemolítica, icterícia, hemoglobina na urina, convulsões e lesões na retina.

Um sintoma clássico da malária são os ataques paroxísticos, quando ocorre ciclicamente sensações súbitas de frio seguidas por calafrios e por febre e sudação. Os sintomas podem ocorrer entre 2 e 3 dias, causando febre recorrente a cada 36 ou 48 horas, ou febre contínua menos aguda.

Indivíduos com malária cerebral apresentam sintomas neurológicos, como postura anormal, paralisia do olhar conjugado, convulsões e coma, entre outros problemas.

Como posso saber que tenho uma infecção por malária?

A infecção por malária é geralmente confirmada através de exame microscópico de esfregados ou de testes de diagnóstico rápido, através da detecção de antígenos. O método mais usado é a microscopia, embora muitos locais não tenham o equipamento para fazer o exame.

Com os testes de diagnóstico rápido é mais fácil detectar a presença dos vírus e determinar se a pessoa está ou não infectada com a malária. No entanto, a sensibilidade e especificidade da detecção rápida depende do fabricante do equipamento, muitas vezes não sendo suficiente para determinar o número de parasitas.

Os primeiros sintomas da malária se apresentam entre 8 e 25 dias depois da infecção, embora também possam surgir tempos mais tarde, em pessoas que tenham tomado a medicação preventiva.

Em seu estágio inicial, os sintomas são semelhantes aos da gripe ou de outras doenças virais, como a gastroenterite. Os sinais da malária incluem dor de cabeça, dores nas articulações, febre, calafrios, vômitos, além de, nos casos mais graves, anemia hemolítica, icterícia, hemoglobina na urina, convulsões e lesões na retina.

Um sintoma clássico da malária são os ataques paroxísticos, quando ocorre ciclicamente sensações súbitas de frio seguidas por calafrios e por febre e sudação. Os sintomas podem ocorrer entre 2 e 3 dias, causando febre recorrente a cada 36 ou 48 horas, ou febre contínua menos aguda.

Indivíduos com malária cerebral apresentam sintomas neurológicos, como postura anormal, paralisia do olhar conjugado, convulsões e coma, entre outros problemas.

Como posso saber que tenho uma infecção por malária?

A infecção por malária é geralmente confirmada através de exame microscópico de esfregados ou de testes de diagnóstico rápido, através da detecção de antígenos. O método mais usado é a microscopia, embora muitos locais não tenham o equipamento para fazer o exame.

Com os testes de diagnóstico rápido é mais fácil detectar a presença dos vírus e determinar se a pessoa está ou não infectada com a malária. No entanto, a sensibilidade e especificidade da detecção rápida depende do fabricante do equipamento, muitas vezes não sendo suficiente para determinar o número de parasitas.

Complicações da malária

Os parasitas da malária, ao contaminar uma pessoas, dirigem-se diretamente para o fígado, começando um ciclo que dura aproximadamente de seis a quinze dias, dependendo do tipo de parasita, reproduzindo-se assexuadamente até arrebentarem as células do fígado. Depois disso, espalham-se pela corrente sanguínea, invadindo as hemácias até destruí-las, provocando anemia na pessoa contaminada, podendo levar à icterícia e, em casos mais graves, quando não devidamente tratada, a malária pode levar ao coma e a morte.

Onde corro maior risco?

As áreas endêmicas para contágio e transmissão da malária são as que já possuem registros contínuos de casos da doença durante o ano todo.

Atualmente estão classificados 88 países como áreas de transmissão natural de malária através da picada do mosquito, em sua grande maioria localizados na faixa tropical.

mapa dos países com malária

A maior parte é formada por países africanos localizados abaixo do Deserto do Saara, além dos países da América Central e do Caribe, da região centro-sul-sudeste da Ásia, do Oriente Médio, e da China, Papua Nova Guiné, Ilhas Salomão e Vanuatu.

Na América Latina estão listados o Paraguai e todos os países amazônicos, como Brasil, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa. No Brasil, a área endêmica de malária é formada pelos estados da Amazônia Legal, pelas regiões a oeste do estado do Maranhão, noroeste de Tocantins e norte de Mato Grosso. Alguns casos raros foram registrados nas áreas de Mata Atlântica, na região sudeste e no Vale do Rio Paraná.

Profilaxia da malária

A profilaxia da malária deve seguir o Manual de Terapêutica da Malária, editado pelo Ministério da Saúde, orientando-se pela espécie de plasmódio e da gravidade da doença, verificando-se a necessidade ou não de drogas injetáveis que reduzem a letalidade dos parasitas.

Os medicamentos mais usados para o tratamento da malária são o Clordox e a Doxiciclina, mas somente um médico poderá indicar o medicamento exigido e a dosagem correta, bem como a duração do tratamento.

Tratamentos e prevenção

O tratamento da malária deve ser feito através de acompanhamento médico, depois de sua contaminação.

As medidas de prevenção devem incluir a prevenção individual, com o uso de mosquiteiros impregnados ou não com inseticidas, com roupas que possam proteger as pernas e os braços, com telas nas portas e janelas e com o uso de repelentes.

exemplos tratamentos anti malária

Como posso me proteger contra a malária?

Para não ser contaminado ou correr menos risco de contaminação é necessário o uso de quimo profilaxia para pessoas que irão viajar para locais endêmicos. O uso de quimo profilaxia impede a multiplicação do parasita no sangue, mas não evita a entrada do parasita no organismo, ou seja, não tem como objetivo a cura, podendo até permitir o surgimento de sintomas mais tarde.

Evitar as picadas como profilaxia da malária

Para evitar ao máximo a contaminação pela malária, é necessário antes de tudo evitar a picada do mosquito. Nesse caso, a melhor opção é o uso de repelentes quando em regiões endêmicas, além do uso de mangas compridas, não deixando a pele exposta.

medidas prevenção da malária

Como é a infecção de malária tratada?

O tratamento da malária deve ser feito assim que surgirem os primeiros sintomas. Muitos casos podem ser tratados sem necessidade de internação, mas as infecções mais graves exigem o acompanhamento médico. Quando não tratada devidamente, a malária pode provocar sintomas recorrentes, com ataque de febre e sudoração, podendo trazer complicações graves para o organismo da pessoa contaminada.

Encomendar medicamentos de prescrição online

Alguns medicamentos podem ser comprados online, para pessoas que irão viajar para regiões onde a malária é endêmica. Deve-se, no entanto, procurar saber o tipo de medicamento a ser tomado como preventivo, lembrando sempre que nenhum medicamento pode impedir a entrada do parasita no organismo, servindo apenas para que eles não possam se reproduzir.

O que devo fazer se enfrentar problemas de malária?

É importante considerar a toma de medicamentos contra a malária ao viajar para áreas onde há riscos da transmissão da doença. Converse com o seu médico ou clínica de viagem para obter todas as informações sobre a malária para identificar se há necessidade da toma de medicamentos e qual medicamento é mais indicado no seu caso.

É muito importante tomar a dose correta e terminar o curso do tratamento antimalárico. Se não tiver certeza, pergunte ao seu médico ou farmacêutico por quanto tempo você deve tomar a medicação indicada, pois existem vários tipos de medicamentos e cada um tem uma forma de administração diferente.

Consulta online grátis
Fonte: