Os problemas sexuais não afetam apenas homens mais velhos, estimando-se que um terço dos homens entre os 18 e os 25 anos sofrem de pelo menos um tipo de disfunção sexual. Os problemas de ejaculação são dos tipos de disfunção que mais afeta os homens jovens, em especial a ejaculação precoce, que se caracteriza pela incapacidade do homem controlar o momento em que ejacula, acontecendo a ejaculação precocemente durante o sexo.

O tempo médio de ejaculação varia entre indivíduos, denominando-se tempo de latência ejaculatória ao intervalo que vai desde o início da penetração até ao clímax do homem. Este tempo de latência ejaculatória pode ser influenciado por vários factores, que tendem a ser mais comuns nos homens jovens. Como por exemplo a ansiedade relativamente à performance sexual, o medo de desapontar a parceira ou o nervosismo característico das primeiras relações.

Mais do que classificar a ejaculação precoce pelo tempo que o homem demora a ejacular, é importante compreender se a ejaculação ocorre no momento desejado ou antes deste. Quando a ejaculação se torna inevitável durante os preliminares ou nos primeiros momentos a seguir à penetração, apesar dos esforços do homem para controlar a mesma, é normal ocorrerem sentimentos de frustração pela dificuldade em controlar a ejaculação. A parceira pode sentir-se igualmente insatisfeita e frustrada.

Porque é que a ejaculação precoce é mais comum nos homens jovens?

Os especialistas acreditam que o controlo da ejaculação é uma técnica aperfeiçoada durante a adolescência e nos primeiros anos da vida adulta. Por este motivo, é comum que os homens ejaculem mais cedo nos primeiros anos da sua vida sexual, uma vez que são menos experientes.

A masturbação é uma prática que permite ao homem ganhar controlo sobre a ejaculação, principalmente na juventude, permitindo-lhe atingir elevados níveis de excitação sem ejacular. À medida que o homem se torna sexualmente ativo com uma parceira, o controlo conseguido durante a masturbação pode ser aplicado durante as relações sexuais, aumentando este à medida que o homem se torna mais experiente.

Factores que influenciam o controlo da ejaculação nos jovens

O reflexo de ejaculação não é apenas influenciado por experiências sexuais. Outros factores incluem as atitudes da família relativamente à sexualidade ou crenças culturais ou religiosas. Por exemplo, se um jovem está inserido num núcleo familiar onde não existe abertura para a sexualidade, é normal que se sinta envergonhado ou se apresse durante a masturbação. Os sentimentos de culpa relativamente a esta prática podem fazer com que o jovem desenvolva no futuro disfunções sexuais, que podem incluir não só a ejaculação precoce, mas também problemas de ereção.

A ejaculação precoce apenas afeta homens jovens?

É normal que os homens mais velhos que sofram de ejaculação precoce mais tarde durante a vida tenham vindo a sofrer deste problema desde a juventude. Porém, também é possível que este problema tenha apenas início numa fase mais tardia da vida, que não a juventude.

É possível que após alguns anos a conseguirem controlar a ejaculação e a terem relações sexuais satisfatórias, alguns homens desenvolvam dificuldades em controlar o momento em que ejaculam. Este problema desenvolve-se normalmente após uma mudança na vida pessoal, que afete a performance sexual do homem. Por exemplo, esta situação é mais comum de ocorrer após um divórcio, durante períodos de stress no trabalho, na relação com um nova parceira ou motivada por problemas de infertilidade.

Apesar de normalmente a ejaculação precoce poder ser motivada por um dos factores descritos acima, outras vezes não existe um factor que o homem consiga identificar como estando na origem do problema de ejaculação precoce.

Que opções de tratamento existem para os homens jovens?

O tratamento da ejaculação precoce em homens jovens é semelhante ao tratamento administrado a homens mais velhos que sofram do mesmo problema. A opção de tratamento mais eficaz consiste numa combinação de ajuda psicológica com apoio médico, de forma a que o homem consiga ganhar autoconfiança e consiga experiências sexuais positivas.

Muitos médicos optam por recomendar tratamentos em creme ou em comprimidos, como por exemplo anestésicos e antidepressivos, que ajudem o homem a controlar o reflexo de ejaculação. Os antidepressivos em particular têm-se revelado uma ajuda benéfica, porém, com alguns efeitos secundários menos agradáveis.

Por este motivo, o tratamento mais frequentemente prescrito pelos médicos para a ejaculação precoce é o Priligy, um antidepressivo fraco e de toma consoante a necessidade, sem os efeitos secundários dos antidepressivos anteriormente prescritos e sem a necessidade de toma frequente.