Início / Contracepção

Contracepção

Medicamentos para Contracepção Hormonal

Os contraceptivos hormonais são a melhor forma de evitar uma gravidez indesejada e garantir o planeamento familiar. Existem diversos tipos de medicamentos ou acessórios que permitem fornecer proteção praticamente com eficácia de 100% para a prevenção da gravidez, que são utilizados por milhões de mulheres na Europa e em outros continentes.

Com uma oferta tão grande de contraceptivos hormonais no mercado farmacêutico, a mulher pode escolher a opção mais confortável para sua condição física e para sua vida cotidiana.

Atualmente os métodos contraceptivos mais utilizados e populares no mundo todo são a pílula combinada e a minipílula. No entanto, algumas pesquisas têm demonstrado que cada vez mais mulheres utilizam outros tipos de contracepção hormonal, como o adesivo contraceptivo e o anel contraceptivo, que se mostram igualmente eficazes para evitar a gravidez indesejada.

A grande vantagem dos métodos contraceptivos hormonais é que eles possuem um caráter reversível, ou seja, ao mesmo tempo em que podem prevenir a gravidez enquanto a mulher está fazendo uso deles, podem ser revertidos, não invalidando uma concepção futura, no caso de o casal pretender ter um filho.

Conheça os diferentes métodos contraceptivos e analise a melhor opção para o seu caso.

Sobre Contracepção Tratamentos Disponíveis Comece a sua Consulta Grátis
Tratamentos Disponíveis Contracepção
Aranka

Aranka

  • Contraceptivo oral genérico da pílula Yasmin
  • Pílula combinada com drospirenona e etinilestradiol
  • Receita médica incluída e entrega grátis em 24 horas
Mais sobre Aranka
Arankelle

Arankelle

  • Contraceptivo oral genérico da pílula Yasminielle
  • Pílula combinada com drospirenona e etinilestradiol
  • Receita médica incluída e entrega grátis em 24 horas
Mais sobre Arankelle
Azalia

Azalia

  • Minipílula genérica da pílula Cerazette
  • Contraceptivo de progesterona
  • Receita médica incluída e entrega grátis em 24 horas
Mais sobre Azalia

O que é a Contracepção?

A contracepção é o termo utilizado para a utilização de métodos ou de dispositivos utilizados na prevenção de uma gravidez em momento inadequado. A escolha, a disponibilidade e a forma de uso dos contraceptivos é conhecida como planeamento familiar.

No mundo existem algumas culturas que limitam ou até mesmo não incentivam o acesso a métodos contraceptivos, principalmente por razões religiosas, morais ou políticas.

Entre os métodos contraceptivos, o uso do preservativo é o único que, além de evitar a gravidez, também oferece proteção contra infecções de doenças sexualmente transmissíveis. Contudo, muitos casais não o adotam por considerar que reduzem a sensibilidade dos órgãos genitais durante a relação sexual, levando a dar preferência aos contraceptivos hormonais.

Além dos métodos tradicionais contraceptivos, a indústrias farmacêutica também disponibiliza a contracepção de emergência, que são métodos aplicados para prevenir a concepção quando utilizados no período compreendido entre 72 e 120 horas depois de uma relação sexual sem qualquer proteção.

Com tantos métodos à disposição, a mulher certamente irá encontrar aquele que seja mais adequado para si. Os métodos podem diferir entre si, quando consideradas a eficácia, a duração, o funcionamento e também o acesso aos medicamentos ou acessórios, o que torna a contracepção algo acessível a qualquer mulher em qualquer lugar e a qualquer momento.

Os principais métodos de contracepção são classificados em dois principais tipos: os métodos de barreira e os hormonais. Os métodos de barreira são aqueles que impedem o acesso dos espermatozoides aos óvulos que podem ser fecundados, mantendo um bloqueio entre as células e impedindo a concepção.

Os métodos hormonais são aqueles que levam hormônios ao organismo feminino para que sua ação seja diferente da normal, ou impedindo totalmente a liberação de óvulos que possam ser fecundados, ou apenas dificultando o acesso dos espermatozoides a esses óvulos.

Além desses métodos contraceptivos, que são considerados como os mais populares e mais utilizados, existem outros que, no entanto, são considerados menos confiáveis ou que apresentam menor eficácia. Antes de adotar qualquer um deles, é importante que a mulher converse com seu médico ginecologista, analise suas condições físicas e escolha o que seja o mais adequado.

Conheça abaixo os diferentes métodos contraceptivos:

tipos-metodos-contraceptivos

Ainda com dúvidas? Complete uma consulta online grátis e pergunte à equipa médica qual o tratamento mais indicado para si.

Comece a sua Consulta online Agora

Quais são os benefícios dos contraceptivos?

O principal benefício oferecido pelas pílulas contraceptivas é por apresentarem uma eficácia média de 99% na prevenção de uma gravidez, desde que tomadas da forma correta. Nesse caso, a eficácia será tanto maior quanto mais a mulher seguir a prescrição médica.

As pílulas contraceptivas possuem maior popularidade entre as mulheres por apresentarem um alto nível de eficácia e por serem de fácil utilização, ao contrário de outros métodos, como, por exemplo, os implantes, que só podem ser aplicados por um profissional de saúde.

Além disso, as pílulas contraceptivas também oferecem um risco mínimo de efeitos secundários, não afetando de forma anormal a vida da mulher e não prejudicando suas atividades cotidianas.

As pílulas contraceptivas, para além disso, também oferecem outras vantagens para o organismo feminino, como podemos observar a seguir:

Proporcionam alívio às dores menstruais

Muitas mulheres passam por sérios problemas durante o ciclo menstrual, com câimbras e dores que, em alguns casos, impossibilitam a realização de qualquer atividade. As pílulas contraceptivas permitem um grande alívio para as dores, ou mesmo sua total eliminação, o que vai permitir à mulher manter uma vida mais ativa, confortável e saudável em qualquer período do mês.

Reduzem o tempo e o volume do período menstrual

As pílulas contraceptivas oferecem um efeito regulador para a menstruação, fazendo com que tenha menor tempo de duração e menor quantidade do volume menstrual. Com sua utilização, a mulher sempre saberá com mais certeza quando será o início da menstruação e por quanto tempo ela irá durar.

Minimizam os riscos de anemia

Como a menstruação tem menor duração e menor volume, fazendo com que a mulher perca menor quantidade de sangue, as pílulas contraceptivas também oferecem esse benefício adicional, reduzindo os riscos de desenvolver a deficiência de ferro, que pode causar anemia.

Reduzem a possibilidade de desenvolvimento de certos tipos de cancro

A toma da pílula contraceptiva apresenta a grande vantagem, de acordo com os estudos desenvolvidos pela medicina, de reduzir o risco de determinados tipos de cancro, como o dos ovários, da bexiga e do útero.

Permitem tratar e ajudar nos problemas de disfunção hormonal

A indústria farmacêutica vem desenvolvendo novas formulações de pílulas contraceptivas, oferecendo algumas marcas que contém em sua formulação ingredientes ativos que permitem ajudar em condições como a acne ou no tratamento de hirsutismo, ou seja, no crescimento excessivo de pelos no corpo, em áreas que perturbam a aparência física da mulher.

Como principal vantagem, além de todos os benefícios apresentados, a pílula se trona o método contraceptivo mais aceito no mundo todo em razão da grande variedade de marcas disponíveis. As combinações são as mais variadas, e praticamente todas elas oferecem até 99% de eficácia contra uma gravidez indesejada.

Mesmo que uma determinada marca não seja totalmente indicada para cada caso, a probabilidade de encontrar outra que seja mais conveniente sempre é muito alta.

Pílula contraceptiva combinada

Composta por estrogênio e progesterona pílula contraceptiva combinada, que é vulgarmente conhecida e referida simplesmente como “pílula”, é o contraceptivo hormonal feminino mais antigo, contendo em sua formulação estrogênio e progesterona.

A pílula combinada possibilita prevenir de forma altamente eficaz a produção de óvulos pelos ovários, já que os hormônios alteram os níveis normais dessas substâncias no organismo feminino.

Assim, a pílula combinada previne qualquer excesso de hormônios relacionados com a concepção, prevenindo, consequentemente, a gravidez indesejada.

Alguns exemplos de pílulas contraceptivas combinada incluem Aranka, Arankelle, Mercilon, Microginon (Microgynon), Diane 35 (Dianette), Cilest, Gynera, Minigeste, Marvelon, Qlaira, Yasmin, Zoely e Ovranette.

  • Opinião da HealthExpress: A estimativa é de que, no mundo todo, pelo menos 100 milhões de mulheres façam uso desse método contraceptivo, sendo considerado o mais popular, já que apresenta uma eficácia de mais de 99%.

Minipílula

A minipílula, também conhecida como minipílula contraceptiva POP (termo originário do inglês, de progesterone-only pill), é mais recente, tendo sido desenvolvida há pouco mais de 40 anos, e comprovadamente apresentando uma eficácia de 99%.

Uma de suas principais vantagens é o fato de poder ser usada também durante a amamentação, uma vez que contém apenas um tipo de hormona, a progesterona, diferentemente da pílula contraceptiva combinada, que, além da progesterona, também contém estrogênio.

Por esse motivo, a minipílula apresenta também menor número de efeitos secundários. A minipílula age no organismo alterando o movimento das Trompas de Falópio, impedindo a ovulação e, com isso, conseguindo maior eficácia na contracepção.

Entre as principais minipílulas estão a Azalia e a Cerazette.

Adesivo contraceptivo

O adesivo contraceptivo não é considerado exatamente um medicamento, já que se trata de um adesivo que deve ser colado à pele, da mesma forma como o adesivo de nicotina, usado para combater a dependência dessa substância. O Adesivo Evra tem sido muito usado pelas mulheres como forma de contracepção.

Seu funcionamento orgânico com estrogênio e progesterona é o mesmo daquele oferecido pela pílula contraceptiva combinada, havendo apenas a necessidade de ser substituído uma vez a cada semana.

O método é o ideal para as mulheres que consideram inconveniente tomar a pílula todos os dias, principalmente quando suas atividades diárias fazem com que se esqueça de toma-la, ou para mulheres que sofram com efeitos secundários negativos com a mesma.

O adesivo contraceptivo está disponível nas farmácias há vários anos e é o único método entre os comercializados que apenas precisa ser trocado uma vez por semana. Sua eficácia alcança os 99%, o que faz desse um dos métodos mais eficazes e convenientes para a mulher atual, sempre envolvida com inúmeras tarefas em seu cotidiano.

Anel contraceptivo vaginal

O anel contraceptivo vaginal é um dos métodos contraceptivos mais recentes no mercado farmacêutico quando se trata de contracepção. Um dos anéis vaginais mais usados é o NuvaRing.

O anel é um acessório pequeno, mole e fabricado em plástico, contendo ambos os hormônios da pílula combinada, ou seja, estrogênio e progesterona.

O acessório deve ser inserido na vagina, devendo permanecer no órgão sexual feminino por três semanas, seguindo-se um período de uma semana de pausa, até ser novamente inserido por mais três semanas.

Sua eficácia, como a da pílula combinada, chega a 99%, desde que usado corretamente, inclusive durante a semana de pausa. Atualmente, o anel vaginal contraceptivo é utilizado por mais de 1,5 milhões de mulheres no mundo todo.

Pílula do dia seguinte

A pílula do dia seguinte é considerada como um método contraceptivo de emergência, uma vez que ajuda a prevenir a gravidez depois de uma relação sexual, principalmente quando outros métodos contraceptivos possam ter falhado, como, por exemplo, no caso do rompimento de um preservativo.

A pílula do dia seguinte é uma das duas formas de contracepção de emergência (a outra forma é o Dispositivo Intrauterino, ou DIU). Havendo necessidade de usar esse tipo de método, a mulher pode tomar a pílula até 3 dias, ou 72 horas, depois do ato sexual, ou até 5 dias, ou 120 horas, após uma relação sexual sem prevenção. As marcas da pílula do dia seguinte são diferentes para cada tempo que apresentamos e ambas funcionam da mesma forma, retardando a ovulação.

Comparando os diferentes métodos contraceptivos

A seguir, vamos apresentar um quadro comparativo dos diferentes métodos contraceptivos oferecidos pelas farmácias e pela indústria farmacêutica:

Diferentes Métodos Contraceptivos
  Pílula Combinada Minipílula Anel Vaginal Adesivo Contraceptivo Contracepção de Emergência
Eficácia Mais de 99% De 98 a 99% Mais de 99% Mais de 99% De 58 a 98%
Como usar Uma vez ao dia durante 21 dias com pausa de 7 dias Uma vez ao dia durante 28 dias, sem intervalo Uma vez ao dia durante 21 dias com pausa de 7 dias Uma vez por semana durante 3 semanas com pausa de 1 semana Uma vez entre 3 a 5 dias após relação sexual sem proteção
Hormônios Estrogênio e Progesterona Progesterona Estrogênio e progesterona Estrogênio e progesterona Progesterona
Ação Impede a ovulação e engrossa o muco Engrossa o muco e altera o revestimento do útero Impede a ovulação, engrossa o muco e altera o revestimento do útero Engrossa o muco e altera o revestimento do útero Impede a ovulação, engrossa o muco e altera o revestimento do útero
Benefícios Regula o ciclo menstrual e alivia os sintomas da TPM Regula o ciclo menstrual e alivia os sintomas da TPM Regula o ciclo menstrual e alivia os sintomas da TPM Regula o ciclo menstrual e alivia os sintomas da TPM Pode ser usado na falha do método contraceptivo
Exemplos          

Existem contraceptivos genéricos?

Mesmo sendo seguros em praticamente a totalidade, ainda existem dúvidas com relação à eficácia dos medicamentos genéricos, incluindo entre eles os contraceptivos.

A principal razão para isso é que um medicamento original pode custar até três vezes mais caro do que a versão genérica, mesmo sendo fabricado com os princípios ativos que deram origem ao medicamento.

O medicamento genérico é aquele que tem a mesma substância ativa, a mesma fórmula farmacêutica e a mesma dosagem, tendo também a mesma indicação terapêutica que o medicamento original, de marca, que lhe serviu de referência. Esses medicamentos são identificados pela sigla MG, escrita na embalagem em letras bem visíveis.

De acordo com os especialistas médicos, são medicamentos tão eficazes quanto o produto de referência, que oferecem a mesma garantia de qualidade e segurança, havendo a diferença apenas no preço.

Por se tratar de produto genérico, que utiliza princípios ativos já conhecidos e constatados como eficiente e como não há necessidade de maiores investimentos em pesquisas, os medicamentos genéricos podem ser produzidos com custo menor, o que os levam a se tornar também mais baratos para o consumidor final.

O medicamento genérico, no entanto, só pode ser produzido a partir do momento em que vence a patente, devidamente registrada, fazendo com que a substância ativa se torne pública, possibilitando que seja fabricado por outros laboratórios.

No entanto, é preciso destacar que, ao comprar um medicamento genérico é necessário considerar sua procedência, comprando de fontes confiáveis, evitando, dessa maneira, adquirir medicamentos falsificados.

Assim, por exemplo, se uma mulher resolve adquirir contraceptivos online, ela deve analisar a clínica que está visitando, as referências sobre essa clínica, se existem u não reclamações sobre ela e, principalmente, se o site oferece a segurança necessária para a compra online.

Efeitos secundários dos diferentes métodos contraceptivos

Os efeitos secundários podem acontecer na toma de qualquer tipo de medicamento, havendo sempre informações sobre esse assunto na própria bula do remédio. Contudo, no caso dos contraceptivos, os efeitos secundários são mais raros do que em outros medicamentos de prescrição.

Quando acontecem, eles apenas costumam ocorrer nos primeiros meses da toma, desaparecendo em seguida. No entanto, se os efeitos secundários persistirem, pode ser que a pílula contraceptiva que a mulher esteja usando não seja a mais indicada para suas condições físicas e, nesse caso, deve procurar aconselhamento médico para que seja prescrita uma mais adequada.

O nível de severidade dos possíveis efeitos secundários, como em outros medicamentos com base hormonal, vai depender de como o organismo da mulher reage à pílula.

Na tabela que apresentamos a seguir, os efeitos secundários comuns são aqueles que podem atingir entre 100 a 1.000 mulheres em 10 mil que fazem uso do medicamento. Os efeitos secundários incomuns podem surgir em número de 10 a 100 mulheres em 10 mil, e os efeitos considerados raros, podem afetar em torno de 10 mulheres em 10 mil.

Confira abaixo a tabela com os efeitos secundários dos métodos contraceptivos hormonais:

Efeitos Secundários das Contracepções Hormonais
Comuns Incomuns Raros
Enjoos em geral Vômitos Desconforto ao usar lentes de contato
Dores de estômago Retenção de líquidos Perda de peso
Ganho rápido de peso enxaqueca Aumento da libido
Dores de cabeça Perda da libido Corrimento vaginal
Mudança de humor Erupções cutâneas Corrimento nas mamas
Dores ou sensibilidade nas mamas Aumento das mamas Cloasma

Quem pode correr mais risco de sofrer efeitos secundários?

Existem diversos fatores que podem causar ou aumentar a severidade da maior parte dos efeitos secundários, como podemos relacionar a seguir:

  • Hábito de fumar
  • História clínica de trombose
  • Excesso de peso ou obesidade
  • Hipertensão ou colesterol alto
  • Idade acima de 50 anos

As pílulas contraceptivas são seguras?

Já ocorreram muitos debates sobre a dúvida de as pílulas provocarem ou não maior risco de cancro feminino. No passado, afirmou-se que as pílulas contraceptivas podiam aumentar o risco de cancro de mama.

Constatou-se, com o tempo, que pode haver um ligeiro risco de cancro cervical, embora seja altamente improvável e evitável, inclusive porque existem exames apropriados a que a mulher deve se submeter periodicamente, como, por exemplo, o Papanicolau.

Para que a mulher tenha convicção de que a pílula contraceptiva é segura, ela deve fazer a toma da forma recomenda e prescrita pelo médico, havendo também a necessidade de se monitorar regularmente.

No caso de alguma pílula provocar desconforto, a mulher deve explorar outras opções, com diferentes doses de estrogênio e progesterona.

Como comprar medicamentos contraceptivos online na HealthExpress?

Os medicamentos contraceptivos são um dos métodos mais eficazes para tratar a evitar uma gravidez indesejada. Se deseja comprar medicamentos contraceptivos, terá de passar por uma consulta médica. Comprar medicamentos como Azalia, Aranka e Arankelle sem receita médica não é permitido em Portugal.

No entanto, na HealthExpress nós oferecemos esse serviço. O primeiro passo é completar uma rápida consulta/questionário online. Um dos nossos médicos registados na EU vai então fazer uma avaliação e enviar-lhe um email com o diagnóstico e recomendação de tratamento. É emitida uma receita eletrónica que é passada para a nossa farmácia permitindo então a compra e dispensa do medicamento. Basta entrar na sua área de paciente, escolher o medicamento e preencher os dados de entrega. A entrega é feita em 24h em Portugal e na Europa.

Deixamos apenas o aviso que muitos websites não obedecem a esta prática e vendem medicação sem receita ou de fontes/farmácias não autorizadas.

A HealthExpress é uma clínica online autorizada que existe no Mercado há mais de 10 anos. Trabalhamos com uma equipa médica e farmácias registados na UE, permitindo a compra online de medicação de forma legal e segura.

Consulta online grátis
Fontes:

Publicado em 22 de Março de 2018.