Efeitos colaterais, interações e contraindicações de Malarone

Efeitos colaterais, interações e contraindicações de Malarone

A indústria farmacêutica evoluiu muito nos últimos anos ao desenvolver medicamentos para melhorar a qualidade de vida e a saúde das pessoas. O Malarone, por exemplo, é um remédio desenvolvido a partir de dois compostos ativos: a atovaquona e o proguanilo, que agem contra a Malária – tanto na profilaxia como no tratamento.

Para realizar a prevenção, o medicamento antimalárico atua impedindo a proliferação do parasita, chamado Plasmodium falciparum, no organismo do indivíduo; já no tratamento, ele combate e mata o invasor quando a pessoa já apresenta a doença.

Estrutura da fórmula de Atovaquona e Proguanil

Medicamentos de prescrição médica, geralmente, podem apresentar efeitos secundários. É necessário conhecer as especificidades dos mesmos para assim decidir se o mesmo é adequado ou não para si.

Fácil e conveniente:

Sem burocracia ou espera

Tudo incluído no Preço

Avaliação, Receita médica e entrega Grátis

Privado e Convidencial

Entrega e Pagamentos discreto

Medicamentos Originais:

Prescritos por médicos registados no Reino Unido

Obtenha tratamento em apenas 3 simples passos
Complete o seu formulário médico
Escolha o seu Tratamento
Entrega Expresso grátis
Tratamento Disponível Malária
Malarone para a malária
4.3/5 - 3 Classificações

Malarone

  • Toma diária
  • Impede a disseminação da infecção pelo organismo
  • Poucos efeitos secundários associados
Paludrine/Avloclor da AstraZeneca
5/5 - 2 Classificações

Paludrine/Avloclor

  • Ataca as defesas do parasita
  • Benéfico para pessoas sensíveis a certos medicamentos
  • Contém os princípios activos Cloroquina e Proguanilo
Doxiciclina 100mg para a malária
0/5

Doxiciclina Malária

  • Viável para pacientes com epilepsia e psoríase
  • Considerado seguro e eficaz
  • Entrega grátis no dia seguinte

Nenhum medicamento é 100% livre de efeitos colaterais

Da aspirina caseira aos mais sofisticados medicamentos de prescrição no mercado, deve-se esperar certos efeitos colaterais. Muitos são menores, alguns são apenas um inconveniente, alguns são graves, e alguns são simplesmente estranhos.

Talvez o mais comum conjunto de efeitos colaterais para drogas tomadas internamente envolve o sistema gastrointestinal. Quase qualquer droga pode causar náuseas ou um estômago indisposto, embora isso só possa acontecer com um punhado de usuários. Para os medicamentos utilizados externamente, irritação da pele é uma queixa comum.

Tipos de Efeitos secundários

Os efeitos colaterais se dividem em várias categorias:

As reações alérgicas podem acontecer com qualquer droga e pode variar de coceira e erupção cutânea todo o caminho até uma reação anafilática em risco de vida.

Alguns medicamentos não podem ajudar, mas desencadear efeitos secundários devido à sua estrutura química. Um exemplo é a droga de alergia comum diphenhydramine (também conhecido pelo nome de marca Benadryl). Embora alivie os sintomas alérgicos, também suprime a atividade do corpo químico acetilcolina, e que leva à sonolência e uma série de outros efeitos secundários, incluindo a boca seca.

Alguns medicamentos geralmente têm efeitos colaterais pouco notados quando dosados adequadamente. Por exemplo, Warfarin (Coumadin, Jantoven), usado para prevenir coágulos de sangue, é geralmente bem tolerado, mas pode ocorrer hemorragia interna grave.

Os efeitos secundários só podem ocorrer quando certos fármacos são misturados com certas outras coisas. Estes também podem ser considerados interações medicamentosas. Beber álcool com analgésicos narcóticos tem causado um aumento alarmante em mortes acidentais por overdose. Beber suco de toranja pode afetar os níveis sanguíneos de várias drogas, incluindo alguns medicamentos de pressão arterial e colesterol.

Efeitos colaterais do Malarone

No caso do Malarone, eles normalmente não aparecem, porém, quando surgem, estão mais associados à cabeça, ao coração, à pele e ao sistema gástrico, sendo que algumas reações desaparecem conforme o organismo se acostuma com o remédio.

Essa droga é considerada segura, já que na grande maioria dos casos não existem relatos de reações adversas. É importante ressaltar que os efeitos positivos são mais significativos que as reações adversas, tornando-se uma opção interessante para o tratamento e a prevenção da malária.

Efeitos Comuns

Os efeitos comuns que acontecem em 10% dos pacientes que fazem uso desse remédio são:

  • Tonturas e náuseas
  • Insônias e dificuldades para dormir
  • Sonhos anormais e estranhos
  • Perda de apetite
  • Tosse
  • Febre
  • Sentimento de depressão
  • Comichão e irritação leve da pele

Efeitos pouco comuns

Já os pouco comuns, que acontecem em 1% dos casos, são:

  • Ansiedade
  • Palpitação no coração
  • Inchaço da boca, podendo ocorrer inflamações como a estomatite

Efeitos raros

Já os casos raros, caracterizados pelos sintomas abaixo, representam uma parcela tão pequena dos pacientes que sua frequência é desconhecida:

  • Hepatite
  • Inflamação dos vasos sanguíneos
  • Mais sensibilidade à luz do sol
  • Descamação da pele
  • Ataques de pânico
  • Úlceras na região da boca
  • Pesadelos

Esses efeitos mais graves, geralmente, são associados a reações alérgicas severas, acompanhadas por dificuldade na respiração, inchaço do corpo e erupções cutâneas. Portanto, se você sentir pelo menos um desses sintomas, suspenda o uso e procure o médico imediatamente.

Interações medicamentosas

Esse medicamento é composto principalmente por proguanilo e atovaquona, substâncias químicas que, se utilizadas simultaneamente com outras, podem ocasionar os efeitos indesejados citados anteriormente e também podem fazer a droga perder a sua eficácia.

  • Composição de rifampicina e/ou rifabuina: podem diminuir a concentração plasmática da atovaquona (medicamento usado em casos de toxoplasmose, malária, pneumocistose e de babesia.)
  • Usado com a metoclopramida: ocasiona a redução de até 50% da quantidade de atovaquona.
  • Utilizado com efavirenz, inibidores da protease do reforço ou tretaciclina: podem reduzir até 75% de atovaquona.
  • Composto proguanilo: pode aumentar o efeito da varfarina ou de outros anticoagulantes que são derivados da cumarina. Isso poderá acarretar um risco maior de hemorragia, então pacientes que utilizam anticoagulantes em tratamento contínuo precisam se cuidar.
  • Composto atovaquona em crianças portadoras de leucemia linfoblástica aguda: pode fazer aumentar as concentrações plasmáticas do etoposido e do metabolito.

Um erro comum é que os efeitos secundários dos tratamentos contra a malária são muito comuns, o que faz pensar que não vale a pena fazê-los. No entanto, os efeitos colaterais são possibilidade comum a qualquer medicamento e a proteção contra a malária não pode ser sacrificada com base em conceitos infundados.

Neurológicos

As dores de cabeça são um efeito secundário comum do Malarone, mas são geralmente ligeiras e não duram muito tempo. As tonturas são menos comuns mas podem ocorrer.

Gástricos

A náusea e as dores de estômago são também efeitos secundários comuns deste tratamento antimalárico. Estas podem ser acompanhadas de perda de apetite, apesar de esta ser menos comum.

Pele

É relativamente comum que esta medicação cause rash com comichão. Porém, se experienciar uma reacção de pele severa, deve parar de tomar Malarone e contactar o seu médico imediatamente.

Coração

Apesar de ser raro, algumas pessoas que tomam Malarone experienciam palpitações cardíacas.

Efeitos secundários do Malarone

Clique na área pertinente do corpo para saber como esta pode ser afectada pelo Malarone

Além dessas interações divulgadas, existem outras desconhecidas. Então, antes de misturar dois medicamentos, converse com o seu médico. Esse cuidado com as interações medicamentosas sempre é importante, pois pode prejudicar gravemente a sua saúde.

Contraindicações

Como cada pessoa possui características únicas, existem algumas contraindicações de uso desse medicamento, já que nesses casos os danos seriam maiores que os benefícios. As mais comuns delas são:

  • Quem é hipersensível a qualquer composto do remédio: pode provocar reações alérgicas graves, sendo contraindicado para essas pessoas.
  • Pacientes com insuficiência renal grave: não é indicado utilizar esse medicamento para aquelas pessoas que estão com malária e apresentam insuficiência renal grave.
  • Mulheres grávidas: não foi estabelecida a relação entre o medicamento e a gravidez, sendo que o risco é desconhecido. Logo, a utilização desse remédio durante a gestação só pode ser indicada quando os benefícios forem maiores que o risco para o bebê.
  • Lactantes: o composto proguanilo é liberado em pequenas doses no leite materno, então ele é contraindicado para mulheres que estão em fase de amamentação.

Além das contraindicações, também existem as precauções que devem ser tomadas no tratamento utilizando o Malarone. São elas:

  • Se o paciente vomitar em até uma hora após ter tomado o remédio, a dose deverá ser repetida, já que o medicamento não foi absorvido corretamente.
  • Em doentes que apresentam vômito e diarreia, a absorção dos compostos pode estar reduzida. Dessa forma, é altamente recomendável que sejam tomadas medidas pessoais para se prevenir da malária, como roupas longas e repelentes.
  • Já para quem apresenta malária aguda e um quadro de diarreia ou vômito, é recomendado que seja feito um tratamento alternativo ou, se isso não for possível, deverá ser realizado um monitoramento cuidadoso do paciente.

Outras precauções e cuidados que o paciente deve ter antes e durante o tratamento da malária variam de organismo para organismo, por isso é importante consultar um médico e seguir sempre suas orientações.

Fontes: