Tabagismo, Obesidade, Drogas e alcool vs Impotência

Uma ereção depende de vários fatores que precisam funcionar de forma sincronizada. Quando o estímulo sexual acontece, os nervos do seu cérebro reagem e uma corrente de sangue flui para o seu pénis preparando-o para a penetração. No entanto, muitas vezes, não é bem assim que as coisas acontecem o que vai resultar em uma disfunção. Vamos esclarecer aqui algumas causas da disfunção erétil.

Serviço de Excelência

3,987 classificações de pacientes

4.8/5
Tudo incluído no Preço

Avaliação, Receita médica e entrega Grátis

Privado e Convidencial

Entrega e Pagamentos discreto

Medicamentos Originais:

Prescritos por médicos registados no Reino Unido

Obtenha tratamento em apenas 3 simples passos
Complete o seu formulário médico
Escolha o seu Tratamento
Entrega Expresso grátis
Tratamento Disponível Disfunção Erétil
Caixa de Viagra 100mg
4.6/5 - 109 Classificações

Viagra

  • Eficácia a partir dos 30 minutos e até 4 horas
  • Disponível nas doses de 25mg, 50mg e 100mg
  • Entrega grátis no dia seguinte
  • Embalagem e entrega discretas
4.3/5 - 74 Classificações

Sildenafil

  • Efeitos com início em 30 minutos e duração até 4 horas
  • Disponível nas doses de 25mg, 50mg e 100 mg
  • Entrega no dia seguinte, sem custos adicionais
  • Entrega numa embalagem discreta
4.6/5 - 121 Classificações

Cialis

  • Faz efeito em 30 minutos e dura até 36 horas
  • Está disponível nas doses de 10mg e 20mg
  • A entrega é gratuita e realizada no dia seguinte
  • O serviço de entrega é discreto
Ver mais tratamentos

Fumar causa Impotência

A associação entre o tabagismo e a impotência sexual (também conhecida como disfunção erétil) já foi extensamente estudada e comprovada por institutos de pesquisa de todo o mundo.

Relação do número de cigarros com a impotência

Segundo estudo publicado pela Universidade de Oxford no American Journal of Epidemiology, por exemplo, a impotência sexual é mais comum em homens com mais de 40 anos, mas ela vem aumentando entre os jovens principalmente em decorrência do consumo de cigarros em grandes quantidades. Ainda segundo a pesquisa, estima-se que aproximadamente 17% dos homens que fumam regularmente desenvolverá problemas de disfunção erétil relacionados ao tabagismo em algum momento da vida.

Isso acontece porque os componentes químicos presentes no cigarro causam danos aos vasos sanguíneos, que são, afinal responsáveis pela ereção ao causarem uma maior circulação de sangue na região genital em resposta a estímulos nervosos, sejam eles táteis ou visuais. Deste modo, com as artérias do órgão sexual danificadas, pode ser fisicamente impossível ter ou manter uma ereção, mesmo que haja excitação.

Excesso de álcool causa Disfunção erétil

Um estudo publicado pela Indian Psychiatric Society sugere que o número impressionante de 72 em cada 100 homens que fazem uso abusivo de álcool apresenta pelo menos algum tipo de disfunção sexual ao longo da vida dentre as quais as mais comuns são a ejaculação precoce, e a disfunção erétil.

Quando o álcool é consumido em altas quantidades dois fatores principais podem levar a problemas de desempenho sexual: o primeiro é que, na medida em que o nível de álcool aumenta na corrente sanguínea seu efeito depressivo aumenta no sistema nervoso central causando perda de sensibilidade no corpo, o que dificulta a excitação.

A outra questão diz respeito à desidratação causada no corpo pelo consumo de bebidas alcoólicas. Novamente, como a ereção depende de um aumento de circulação sanguínea na região genital, a desidratação impede que ela aconteça de maneira adequada.

Certas drogas interferem na performance sexual

Drogas também são grandes inimigas do desempenho sexual dos homens - e isso é válido tanto para drogas depressoras, como para as estimulantes.

Em estudo conduzido pela Universidade Federal de São Paulo, descobriu-se que quase metade dos homens que fazem uso regular de drogas recreativas como ecstasy, LSD, maconha e cocaína sofriam de alguma disfunção sexual, sendo as principais delas a diminuição da libido e dificuldades eréteis.

Assim como acontece com o álcool, o grande problema das drogas é que, quando consumidas em uma quantidade pequena, elas podem dar a impressão de que serão benéficas para a performance sexual uma vez que estão associadas a desinibição e, dependendo da droga, ao relaxamento, ou a estimulação. No entanto, a verdade é que o uso destas substâncias leva a graves alterações cardiovasculares e no sistema nervoso de modo que o seu uso regular ou abusivo pode terminar prejudicando a libido, a capacidade de ereção, e de orgasmo de muitos homens.

Obesidade pode causar impotência

A obesidade pode levar a impotência sexual em homens tanto em decorrência do próprio sobrepeso, como de problemas cardiovasculares e de diabetes.

A obesidade está, portanto, estritamente relacionada à disfunção erétil já que pode acarretá-la em decorrência de problemas diversos. Os problemas vasculares impedem a ereção pelos motivos previamente citados, e a diabetes pode causar danos na enervação do órgão tornando necessário o uso de injeções para tratar a impotência.

Além dos possíveis problemas mencionados, segundo o Dr. André Guilherme Cavalcanti, da Sociedade Brasileira de Urologia, é preciso lembrar que a obesidade também está relacionada a um número significativo de disfunções hormonais que também podem prejudicar gravemente o desempenho sexual masculino.

Como tratar disfunção erétil (impotência sexual)

Muitos homens se mostram resistentes à ideia de procurar ajuda quando apresentam problemas de disfunção erétil. Mas não há motivo para embaraço – como nos lembra o Dr. José Mario Reis, cirurgião vascular e presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Impotência, a estimativa é que 53% dos homens brasileiros em idade reprodutiva venham a apresentar algum nível de disfunção sexual em determinado momento da vida.

Além disso, a medicina já avançou muito no que diz respeito a esta questão de saúde, especialmente no que se refere à impotência sexual por causas orgânicas, como as que tratamos neste artigo.

Existem hoje muitas opções de tratamento para os vários graus de disfunção erétil que pode ser desde moderada, até severa. Entre as opções mais comuns estão:

Próteses penianas (também chamados implantes)

São de dois tipos: infláveis, ou de silicone. Os dois consistem na implantação de um mecanismo no interior do pênis que não prejudica nem a sensibilidade, e nem a capacidade de ejaculação. Os de silicone são preferíveis por serem mais baratos e duradouros, mas os infláveis são à ereção uma aparência mais "natural e orgânica".

Medicamentos para o tratamento da impotência

Também podem ser de dois tipos: injetáveis, ou em comprimido de via oral. Os injetáveis são utilizados em casos em que não há problemas com os mecanismos de ereção, e sim com os nervos do órgão que não conseguem transmitir com sucesso o estímulo. Neste caso a droga é injetada diretamente no genital.

Já os comprimidos tem se mostrado a opção preferida de médicos e pacientes por seu uso fácil, indolor, sem grandes efeitos colaterais e apresentam resultados em ambos os casos. Hoje, existem duas substâncias principais utilizadas em fármacos direcionados aos problemas de disfunção erétil: a apomorfina, que age diretamente no cérebro, e a popular sildenafil (Nomes comerciais: ViagraSildenafil (o genérico do Viagra), que é um vaso dilatador que estimula o aumento da circulação sanguínea na região genital de modo a facilitar a ereção.

Lembre-se: uma simples consulta ou tratamento podem trazer a resolução para este problema que pode afetar a saúde física e psicológica de muitos homens.

Se Você acha que sofre de disfunção erétil, nossos médicos podem te ajudar. Basta passar pela nossa consulta online gratuita.

Clique aqui: Consulta Online Grátis

Fontes: