Perigos de perder peso rápido

Balança a perder pesoA perda de peso rápida implica um grande esforço no que toca à prática de exercício e à alimentação. Quando combinados, e praticados sem supervisão, estas duas mudanças de hábitos podem ser excessivas e lesivas para a saúde. Para além disso, e quando comparada com uma perda lenta e sustentada, uma perda de peso abrupta raramente se traduz numa diminuição efetiva de gordura, de forma duradoura.

Serviço de Excelência

3,987 classificações de pacientes

4.8/5
Tudo incluído no Preço

Avaliação, Receita médica e entrega Grátis

Privado e Convidencial

Entrega e Pagamentos discreto

Medicamentos Originais:

Prescritos por médicos registados no Reino Unido

Obtenha tratamento em apenas 3 simples passos
Complete o seu formulário médico
Escolha o seu Tratamento
Entrega Expresso grátis
Tratamento Disponível Obesidade
4.7/5 - 75 Classificações

Xenical

  • Tratamento para a perda de peso eficaz quando aliado a um estilo de vida saudável
  • Aumenta as hipóteses de perder peso
  • Não necessita de uma consulta médica presencial
  • Serviço de entrega grátis no dia seguinte

Não promove alterações ao estilo de vida

Quando a perda de peso é repentina, geralmente tem por base refeições demasiado hipocalóricas, abdicar de refeições ou até o corte radical de determinados macronutrientes, por norma hidratos de carbono ou gorduras. Embora seja óbvio que alguém que sofre de excesso de peso necessite de estabelecer regras na sua alimentação, a prática de hábitos tão drásticos e restritivos gera bastante frustração, e por norma dura muito pouco tempo.

Assim, e em vez de reduzir os excessos de forma exagerada, deverá fazer uma reflexão alargada da sua alimentação, identificando as principais causas de ganho de peso e colmatando-as individualmente. Para isso, a consulta de um nutricionista pode ser essencial.

Aumenta o risco de formação de pedras na vesícula

Tratam-se de cristais formados na vesícula biliar, um órgão adjacente ao fígado, e que geralmente são constituídos por colesterol. São mais comuns nas mulheres acima de 40 anos, sendo que a obesidade por si só poderá predispor à sua formação. No entanto, verifica-se que a perda de peso acentuada pode potenciar a sua formação ou aumentar tamanho de cristais já existentes.

Pode lesar o fígado

Uma perda de peso rápida poderá predispor ao desenvolvimento de esteatose hepática não alcoólica (fígado gordo). Embora o mecanismo pelo qual isto acontece não esteja completamente elucidado, sabe-se que uma alteração brusca no perfil lipídico, associada à perda de peso, poderá provocar alterações no funcionamento hepático.

Promove a perda de massa muscular

A queima de energia não se dá unicamente pela queima de gordura, mas também de outras fontes, entre as quais o glicogénio (reserva de açúcar presente no sangue, músculos e fígado) e a massa muscular. Quando a perda de peso é repentina, para além da gordura perde-se também uma quantidade significativa de massa muscular.

A massa muscular é extremamente importante para a manutenção da saúde e capacidade de executar as várias tarefas do dia-a-dia, mas pode também ser relevante na aparência do corpo. Em primeiro lugar, e se a perda de massa gorda for sustentada por algum ganho muscular, o músculo ganho ocupará parte do espaço onde antes se encontrava a gordura, o que ajudará a reduzir a flacidez da pele. Depois, o próprio músculo é um tecido que necessita de uma quantidade relativamente elevada de energia para se manter.

Por isso, uma grande perda de peso que se sustente na redução da massa muscular pode ser nociva para a saúde, compromete a facilidade de perder mais peso no futuro, e dará ao corpo uma aparência flácida.

Desacelera o metabolismo

Quando perdemos peso abruptamente, o corpo reconhece essa alteração e adapta-se a ela, despertando mecanismos de sobrevivência. Isso resulta numa maior poupança de energia, que se traduz numa diminuição significativa do metabolismo basal do organismo, e adicional à perda de massa muscular acima mencionada. O metabolismo basal consiste na quantidade de energia gasta em repouso para que o corpo desempenhe as funções essenciais à sua sobrevivência. Esta redução de metabolismo é natural aquando da perda de peso, já que uma menor massa corporal exige menos energia para se manter.

No entanto, quando a perda de peso é repentina, esta redução metabólica é desproporcional à quantidade de peso perdida e pode prolongar-se por mais tempo do que aquele que seria desejado. Este fenómeno poderá dificultar a perda de mais peso, se assim o desejar, ou até predispor a um maior ganho, caso pare de fazer dieta.

Pode alterar o equilíbrio eletrolítico do organismo

No início do processo de perda de peso, sobretudo se esta ocorrer de forma muito rápida, perde-se uma quantidade significativa de água. Esta água arrasta consigo alguns eletrólitos em circulação no corpo, que são essenciais para a sua manutenção e funcionalidade. Entre estes eletrólitos encontra-se o sódio, essencial para o funcionamento de diversos órgãos como o coração e os músculos.

Compromete o bem-estar

Para além de ser psicologicamente desgastante, uma grande restrição alimentar associada a uma prática exagerada de exercício físico pode ter efeitos fisiológicos marcados. Estes efeitos podem revelar-se por uma série de sinais e sintomas, dos quais são mais comuns:

  • Cefaleias (dores de cabeça)
  • Fadiga
  • Irritabilidade
  • Tonturas
  • Obstipação
  • Perda de cabelo
  • Menstruações irregulares
  • Perda de forças